Category Archives: …os textos da Beatriz

Em modo férias… na véspera de mais uma viagem com Beatriz.

Estou em Lisboa. Na véspera de viajar com a Beatriz para uma nova capital da Europa. “Adoro viajar contigo. Mostrar-te os mundos que o mundo tem. Os museus, os teatros, as telas que pintamos, os desafios… são o ensaio de mim a tentar inspirar-te a ti.” lembram-se?

Acho que acabei por não partilhar convosco o resultado dessa carta de amor na forma de livro, faço-o hoje!

    
  
  
203 páginas que resumem 10 anos e 9 meses de vida da minha filha. E a minha também. Porque com ela nasci mamã. E não me lembro de mim antes dela.

Um bom dia.

Beatriz no Quadro de Excelência! So Proud…

Hoje a Beatriz inicia um novo ano lectivo! O 6° ano! Teve uma surpresa que nem queria acreditar:

Consta no Quadro de Excelência da escola!

Ligou à minha mãe primeiro – mais exigente do que eu ou o pai. E depois enviou-nos a fotografia. E acredito que o pai esteja tão orgulhoso quanto eu!

O orgulho na minha filha não se resume aos seus resultados brilhantes na escola. Na verdade constar no Quadro de Excelência é importante, sobretudo, para ela. Porque vê reconhecido o valor do seu esforço. Esse reconhecimento é importante. Não importa a idade ou o nivel.

O meu dia esta a ser bom. Com este sol fantastico. E com a alegria da minha melhor parte por alcançar os seus sucessos pessoais!

Proud of her ❤ ❤

 

Momentos divertidos…

– Onde é que está a princesa que tem a mamã mais gira, inteligente e divertida?

(Ouve-se ao longe, em estilo melodramático – onde é que eu estava com a cabeça quando a incentivei a ir para o Teatro)

– Oh não! Tenho uma mãe convencida!

Ahahahaha

“Um rato e um cão”, um texto de Beatriz Luís.

IMG_14112014_234632

A professora da minha filha pede aos alunos para escreverem um texto livre, por semana. No entanto, apenas alguns alunos têm a possibilidade de ler o seu texto – aqueles que são seleccionados pela professora. Hoje disse-me triste: “mamã ainda não foi hoje que pude ler a minha composição.” A professora nunca chega a ler os textos dos alunos que não são seleccionados. E ontem, quando me leu o seu texto cheia de alegria e orgulho, estava desejosa de hoje ser uma das escolhidas. É pena que não tenha o feedback do que escreve. Apesar de ser muito mais giro ouvi-la dar voz aos personagens, partilho aqui no blog, para a motivar a escrever.

Um dia chuvoso, em Londres, perto do Natal, num prédio muito alto. Nesse prédio, existe um andar muito importante: o 9º andar. Vive lá um milionário muito famoso que tem um cão alto, com muito pêlo, olhos azuis e uma grande cauda. O cão é muito fiel, mas tinha um problema. Tinha medo de ratos.
Numa manhã o cão acordou e ficou a olhar a sua vista maravilhosa, mas estava aborrecido pois o dono tinha muito trabalho e não podia brincar com ele. Passado umas horas, quando o dono saiu para ir trabalhar, entrou um rato. Foi procurar queijo na cozinha. Quando o cão foi tomar o seu pequeno-almoço – ele gosta de leitinho quente -, viu uma “coisa” com pêlo fino e olhos verdes, em cima do balcão.
O cão espantado e cheio de medo disse:
– Ah!!! Tu és um rato!
O rato respondeu:
– Sim, sou. E vim aqui à procura de queijo. Podes dizer-me onde é que está?
– O rato acabou… de falar comigo!? É melhor fugir! Exclamou o cão.
O cão fugiu do rato e o rato atrás do cão. Com esta confusão o rato gritou:
– Pára com isso! Por que é que foges de mim?
– Porque tenho medo de ratos! E tu podes morder-me! Respondeu o cão.
– Mas eu não te mordo. Até podemos ser amigos. Afirmou o rato.
– A sério? Podemos ser amigos? Perguntou o cão.
– Claro. Respondeu o rato.
O rato e o cão tornaram-se amigos. O rato passou a viver naquele prédio, mas um dia ele foi ao quarto da dona do cão – que tinha muitas jóias sobre uma mesa. O rato não resistiu e roubou algumas. Quando o cão se apercebeu do que ele tinha feito começou uma discussão:
– Porque é que fizeste aquilo?
– Olha, já estamos a discutir há imenso tempo e eu já te disse que não queria fazê-lo, mas eu tenho um fraquinho por brilhantes.
O cão desculpou-o. Voltaram a colocar as jóias no seu lugar e por mais estranho que pareça o rato e o cão tornaram-se os melhores amigos. E o cão nunca mais se sentiu aborrecido. Tinha sempre com quem brincar, mesmo que longe de brilhantes.

Um texto de Beatriz Luís, 9 anos.

(A imagem foi escolhida pela Beatriz retirado daqui).

As princesas e respectivos amigos!

Difícil serem mais parecidas…

20140531-171657.jpg

20140531-171708.jpg