Monthly Archives: Julho 2017

A caminhar… se faz o caminho.

Tirei esta fotografia por acaso. Num início de noite de verão. Na praia.

Há várias coisas nesta fotografia de que gosto. Naturalmente o céu. Transporta-me para o céu da beira baixa, em dias de Agosto. Sentados na ladeira de pedras centenárias quentes adivinhávamos dias (também) quentes. Mas o que mais me atrai nesta fotografia é o movimento. Uma ilustração da(s) vida(s) sem que nela participe. Casais que seguem os seus caminhos. Em sentidos opostos. Que passeiam serenamente. Sem correr. De mãos dadas ou afastados. 

Gosto do fio eléctrico que atravessa as extremidades da fotografia. Gosto dos paralelismos da linha do comboio. Gosto de sentir que a cada pôr do sol se segue um outro dia. 

Captei este momento por acaso. Como acontecem, normalmente, as coisas boas da vida. Este foi o primeiro caminho que fiz com Christophe. Na altura ainda sem dar as mãos. Num final de tarde primaveril. De casaco amarrado à cintura e tenis all star. Os meus azuis. Os dele cinzentos. Foi o princípio do nosso caminho…

Bom Agosto para vós!

Elena Ferrante – a Amiga genial

Tenho andado entusiasmada com a tetralogia de Elena Ferrante. Estou no terceiro livro (a idade intermédia).

Trata-se de uma história de vida(s) que começa na infância, na Nápoles do pós-segunda guerra. Duas amigas de um bairro pobre. A filha do sapateiro e a filha do porteiro. Uma inteligente. Outra com dificuldades. Uma a quem os pais não deixaram estudar. Outra a quem os pais autorizaram sonhar. Livros que atravessam 50 anos de vida. Por vezes pensamos que a história vai ser uma, dez paginas depois o fim adivinha-se outro. Mas como na nossa vida, neste(s) livro(s) a incerteza é a constante que nos faz sentir vivos e nos tenta a virar a página.

Em Portugal tem o título de “a amiga genial”. Uma das minhas surpresas literárias deste verão. 

Bom fim de semana

Cactus em forma de coração… chez moi!

O meu jardim de plantas suculentas (ou grasses ou cactus ou o que lhe quiserem chamar).

Tenho estado a recuperar da cirurgia. As meias de retenção são o mais sexy que já vesti… perfeitamente adequado ao verão da Côte d’Azur. Tenho défice de ferro e ainda me sinto fraca, mas já não estou a tomar medicamentos para as dores. A biologia leva o seu tempo…

Hoje apeteceu-me fazer umas fotografias de alguns dos cactus que tenho na varanda. Durante os meses de verão coloco um aditivo na água de rega – que elas adoram. Ora vejam…

img_4359

Echiveria

 

img_4361

Crassula Budha´s Temple

img_4372

Sedum burrito

img_4358-1

Haworthia attenuata

Tenho de me dedicar a fazer etiquetas giras com os nomes delas – recordar a cadeira de plantas vasculares e taxonomia – já passaram 20 anos :)!

Dr. Ganea ALEXANDRU – gynécologue: trop mauvaise expérience.

J’ai eu une hémorragie interne de 2,5L, opérée en urgence à l’hôpital de la Fontone – Antibes, vendredi 7/7 due à une grossesse extra-utérine pas détecté par ce médecin, même si j’ai eu une consultation le 3/7 où il a fait une eco et à pas vu d’embryon dans l’utérus et à reçu les résultats de bhcg de 18900u le 4/7. 

Le 3/7 ce médecin m’a dit “vous êtes pas enceinte madame, il y a des faux positifs” malgré le fait que  je lui ai dit que j’avais fait un teste pharmacie, que j’avais eu une petite hémorragie et que j’avais mal au ventre. Il m’a parlé comme si j’avais une grossesse psychologique. Il a juste prescrit le bhcg 48h.

Ce médecin m’a jamais parlé de grossesse extra-utérine, malgré toutes les donées qu’il avait. j’ai failli mourir et j’ai perdu une trompe. Je tiens à remercier à toute l’équipe d’urgence de l’hôpital Fontone, à Antibes, en particulier au Dr. Laurence Debono pour avoir sauvé ma vie.

Protégez-vous! 

Je vais porter plante contre lui et écrire à l’ordre des médecins mais en attendant je vais tout faire pour que d’autres femmes passent pas ce que je viens de vivre.