My hiking views… (porque eu sou do tamanho do que vejo!)

Comecei a fazer hiking numa altura em que não se chamava hiking. Os “jogos de pistas” ou “percursos de orientação” marcaram a minha adolescência. Memórias que guardo com saudade. Caminhadas longas, impressas nos pés sob a forma de bolhas. As noites ao relento no topo dos montes e montanhas. As fotografias com temporizador para captar o movimento aparente das estrelas. O amor platónico. A fotografia. A fotografia. A fotografia. As estórias. Os fogos de concelho na praia ou nas clareiras de florestas. Os acordes de viola. As caricaturas. Rirmo-nos de nós. Em gargalhadas sonoras.

A idade não me roubou a harmonia que sinto quando estou em espaços naturais. Um estado de energia superior. A ansia de descobrir novas paisagens. De as captar com a câmara. Ou de simplesmente me sentar a contemplar e ouvir o silêncio que ecoa nas escarpas. Por vezes. Não raras vezes. Não fotográfo. Porque o que vejo é de tal forma perfeito, que qualquer fotografia seria injusta ao horizonte.

Nos últimos anos tenho feito percursos inesquecíveis. Hoje partilho  convosco. alguns dos trilhos que tive o privilégio de fazer.

IMG_3588

Rota Vicentina, Alentejo – Portugal.

IMG_3567

Rota Vicentina, Alentejo – Portugal.

IMG_2905

Rota del Cares, Asturias – Espanha.

IMG_2858

Rota del Cares, Asturias – Espanha.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Grand Canyon, Arizona – USA.

OLYMPUS DIGITAL CAMERA

Grand Canyon, Arizona – USA.

Tenerife, Espanha.

Tenerife, Espanha.

Tenerife, Espanha.

Tenerife, Espanha.

Gerês, Portugal.

Gerês, Minho – Portugal.

Gerês, Portugal.

Gerês, Minho – Portugal.

Gerês, Portugal.

Gerês, Minho – Portugal.

IMG_6355

Mercantour, PACA – France.

IMG_6422

Mercantour, PACA – France.

Madeira, Portugal.

Madeira, Portugal.

L´Esterel, PACA - France.

L´Esterel, PACA – France.

Termino este post com um poema que gosto muito de Alberto Caeiro (Heterónimo de Fernando Pessoa):

<

Eu sou do tamanho do que vejo.

Da minha aldeia vejo quanto da terra se pode ver no Universo…
Por isso a minha aldeia é tão grande como outra terra qualquer
Porque eu sou do tamanho do que vejo
E não, do tamanho da minha altura…
Nas cidades a vida é mais pequena
Que aqui na minha casa no cimo deste outeiro.

Na cidade as grandes casas fecham a vista à chave,
Escondem o horizonte, empurram o nosso olhar para longe de todo o céu,
Tornam-nos pequenos porque nos tiram o que os nossos olhos nos podem dar,
E tornam-nos pobres porque a nossa única riqueza é ver.

>

DSC_0505

Lac de Trécolpas, 2150m – Mercantour, PACA – France.

Até breve!

3 responses to “My hiking views… (porque eu sou do tamanho do que vejo!)

  1. Lindíssimas as imagens, adorei! Tenho duas caminhadas em vista, na costa vicentina e caminho de santiago

    Liked by 1 person

  2. Pingback: Pela Cantábria e Picos da Europa | Charlotte Bang Bang

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s