Nenhuma decisão sera mais dificil de tomar do aquela me me fez sair de Portugal.

A minha vida por terras do sul de França tem sido serena. Passo meses sem ir à grande cidade – Nice – e ainda mais tempo sem entrar numa grande superficie ou shopping. Limito-me às distancias que posso percorrer de patins ou de bicicleta – o carro, esse, deixo-o para os dias de semana, em que vou trabalhar.

Ontem fiz um jantar de amigos em minha casa. A jeito de estrear o grelhador, festejar o verão e partilhar esse momento entre amigos. Ha muitas partes de mim que ainda se sentem fora do seu ambiente, como se esta aventura de viver noutro pais tivesse sido ha pouco tempo. Talvez por isso me surpreenda com a proximidade que tenho a algumas pessoas aqui. Que cumprimento com um abraço e não apenas com um beijinho. Pessoas a quem pergunto sobre os irmãos, a familia. Pessoas de quem gosto. Muito. As ultimas semanas não foram faceis. Por questões, sobretudo, profissionais. Foi a primeira vez que me viram triste. Fizeram-me falta amigos que seguiram as suas vidas para outros destinos. Fez-me bem estar uns dias em Lisboa. Com a minha familia. E com aqueles dois amigos de sempre (não imaginam o quanto foi bom estar convosco). Porque o meu trabalho não é apenas um trabalho – ha muito de paixão e entrega, verdadeiramente. Lutei por uma mudança de status e salario correspondente – devido a ter obtido o doutoramento ha 2 anos. Obtive o que queria! Mas fica aquela sensação de que é necessario uma pessoa dizer que se vai embora para que seja reconhecida. E a verdade é que nenhuma decisão sera mais dificil de tomar, do aquela me me fez sair de Portugal. Essa é a certeza que tenho. E foi essa certeza que me permitiu colocar tudo em causa para obter o que considero meu, por direito.

Ontem foi um jantar que terminou com um forte abraço – do G., aquele siciliano que foi tema de alguns posts aqui no blog – dizendo-me “ja tinha saudades destes nossos jantares”. E eu também…

Sabado chegam os meus pais com a melhor parte de mim. Terei coisas para contar, por certo :)!

Até breve!

(desculpem a falta de acentos – teclados franceses…)

2 responses to “Nenhuma decisão sera mais dificil de tomar do aquela me me fez sair de Portugal.

  1. Tu mereces!
    Infelizmente, foste obrigada a fugir para te sentires feliz e recompensada pelos esforços no teu doutoramento. Deve ser lixado, muito mesmo, deixar tudo e todos para abraçar outro desafio, mas, lá está… aposto que te sentes mais realizada e isso é o mais importante. 🙂

    E aqueles que tiveste de “deixar”, sabem que o fizeste pelo melhor que podes tirar de ti.

    Beijinhos 🙂

    Gostar

  2. Vou experimentar o “sabor” da mudança. Sou Mestre, apesar disso, em Portugal não está fácil, tirei um curso técnico e agora penso em ir trabalhar para Mónaco ou sul de França (Nice, Beausoleil…), talvez te encontre nessa minha nova vida. Se correr tudo como o esperado vou em setembro.
    O importante é manter a esperança e lutar pelo nosso ideal.

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s